Tutoriais

Tutorial 01: Segurança da Informação na Saúde

 

A questão de segurança da informação deixou de ser um assunto periférico, para entrar no centro das decisões estratégicas e táticas do negócio de saúde, por isso a necessidade de compreender o cenário atual e aprofundar o tema no entendimento das questões tecnológicas e controles disponíveis, para que possamos justificar os investimentos e tomar as melhores decisões. Este tutorial abordará as questões de segurança da informação, com ênfase na área de saúde. Inicia com uma visão mundial e nacional atualizada com relação ao valor da informação em saúde, que traz um grande alerta para todos nós, e nos ajuda a posicionar junto a alta direção a estratégia de segurança. Em seguida, passamos para uma análise das vulnerabilidades, e uma explicação dos mecanismos que permitem um ataque externo, com ênfase no famoso Ramsonware. Depois, encerramos com a visão dos controles e processos disponíveis para mitigar as vulnerabilidades e suas consequências. É um assunto fundamental para os profissionais de tecnologia envolvidos com a segurança, risco e compliance.

 

Instrutor: 

  • Luis Gustavo Kistake (E-VAL Saúde, SP).
    Luis Gustavo G. Kiatake é entusiasta do uso da tecnologia na saúde. Graduado e mestre em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP, foi professor na pós-graduação em Segurança da Informação do IPT, SENAC, Uniemp e Unifesp. É colaborador da ISO e membro da ABNT nos comitês de Segurança da Informação e de Informática em Saúde, da qual foi relator do Grupo de Segurança. É membro do HL7Brasil, IHE, colaborador no processo de Certificação de Software SBIS/CFM, representante da SBIS no Comitê de Padronização do TISS (COPISS) da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), e é diretor da E-VAL Saúde.
  • Bruno Freire
    Consultor Senior de Segurança da Informação com 10 anos de experiência em Testes de Invasão, Processos de SI, Treinamentos, Políticas e Assessments em empresas de diversos segmentos e tamanhos. Bruno atua como líder de equipe para projetos de segurança da informação de Análise de vulnerabilidades, Assessment de Maturidade, Threat Modeling e Computação Forense. Durante 2 anos foi responsável pelo processo de análise de vulnerabilidade e teste de aplicações para o Itaú-Unibanco sendo responsável por todas as empresas da holding, escritórios internacionais e serviços terceirizados.

 


 

Tutorial 02: Big Data e Analytics em Saúde

 

O termo big data foi citado pela primeira vez em um artigo em 1997 por dois cientistas da NASA, Michael Cox and David Ellsworth, que chamaram de problema de big data devido ao grande volume de dados que ultrapassava a quantidade de memória disponível para visualização dos dados. Entretanto, com os avanços tecnológicos são gerados cada vez mais e mais dados estruturados e não estruturados, o que torna um problema de big data para as empresas. Como analisar os dados na mesma velocidade em que os dados são gerados? Pode-se dizer que muitas empresas estão investindo em infraestrutura e recursos humanos para essa finalidade. E a área da saúde como está?


A área da saúde ainda é muito incipiente o uso de dados tanto clínicos como de faturamento para análise de saúde da população brasileira e dos indivíduos. Em geral, essas informações estão centralizadas nas unidades de atendimento, em diferentes formatos ou até mesmo em papel.


Este tutorial tem como objetivo apresentar os conceitos de Big Data e Analytics na Saúde com estudos de casos em ferramentas de mercado e open source para análise de dados, para alunos com perfil de cientista de dados.

 

Instrutor: 

  • Regina Tomie Ivata Berna (FIAP, SP).
    Cientista de Dados Especialista em Saúde, Estatística, Mestre em Saúde Pública e Doutora em Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da USP. Consultora do Ministério da Saúde, incluindo organização e realização do VIGITEL Brasil Saúde Suplementar (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por inquérito Telefônico), professora de Modelagem Estatística e MBA em Big Data (Data Science) pela ABTEC Associação Brasileira de Educação e Tecnologia (FIAP), Analista Chefe na E-VAL Saúde.

 


 

Tutorial 03: Modelagem da Informação Clínica em OpenEHR

 

Este tutorial tem por objetivo apresentar a metodologia de construção de modelos de informação clínica utilizando arquétipos OpenEHR. Dentre os padrões disponíveis para a contrução de modelos de informação, o este é o padrão recomendado pela Portaria 2073 de agosto de 2011 do Gabinete do Ministro da Saúde. Será feita uma introdução ao modelo arquétipos OpenEHR e das ferramentas de domínio público de edição de arquétipos e templates. O tutorial terá duração de 3h e mostrará o processo de seleção, especialização de arquétipos para construção de fichas clínicas, acoplamento com as terminologias clínicas e a construção dos templates e formulários correspondentes. Ao final do Tutorial espera-se que os participantes tenham o entendimento do processo de definição das fichas clínicas e da sua implementação num ambiente que implemente o padrão OpenEHR.

Os seguintes tópicos serão abordados neste tutorial:

  • Introdução ao modelo OpenEHR
  • Classes de arquétipos
  • CKM – Clinical Knowledge Manager
  • Editor de Arquétipos
  • Editor de Templates
  • Etapas do processo de modelagem em arquétipos
    • Seleção de arquétipos
    • Especialização de arquétipos
    • Criação de arquétipos
  • Construção de Templates /Restrições a nível de template
  • Construção de formulários e criação de dependências


Para melhor aproveitamento do Tutorial, recomenda-se que os participantes do tutorial levem seus notebooks, ou alternativamente, aluguem no local.

 

Instrutores:

  • Ana Marta Rodrigues Branco (Hospital Sírio-Libanês, SP)
    Enfermeira, Especialização em Informática em Saúde, UNIFESP. Analista de negócios da Informática do Hospital Sírio Libanês. Experiência com modelagem de arquétipos desde 2015. São Paulo, SP
  • Samuel Frade (Marand, Eslovênia)
    Engenheiro da Ciência da Computação, Mestre em Informática Médica pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Analista da empresa Marand, com larga experiência na implementação do modelo OpenEHR.
  • Beatriz de Faria Leão
    Médica, Doutora em Medicina, UNIFESP. Pós-Doutorado em Informática em Saúde na Univ. Erasmus de Rotterdam, Holanda. Sócia Titular e Fundadora da SBIS e atual Presidente. Sócia Diretora da BLEAO Informática em Saúde. Experiência em área pública, privada e academia. Membro fundador da IAHIC – (International Academy of Health Information Sciences).

  


 

Tutorial 04: Segurança do Paciente na Prescrição Eletrônica – O Papel da Ontologia Brasileira de Medicamentos

 

Este tutorial está dividido em duas partes. A primeira apresentará os erros no processo da prescrição eletrônica (PE) relacionados a questão do cadastro dos medicamentos. Serão apresentados exemplos e referências internacionais com as alarmantes estatísticas de eventos sentinela e como os mesmos são reportados. A segunda parte apresentará  Ontologia Brasileira de Medicamentos, projeto PROADI em desenvolvimento pelo Hospital Sírio Libanês. Esta ontologia segue o modelo adotado por vários páises, tais como, Austrália, Inglaterra, Uruguai, Nova Zelândia, como o vocabulário padrão para uso em sistemas de prescrição eletrônica. O objetivo final é distribuir esta base de dados livremente para que os desenvolvedores possam incorporar em seus sistemas aumentando significativamente a segurança do paciente.

Público Alvo: Desenvolvedores de sistemas de prescrição eletrônica, analistas de negócio e profissionais de saúde interessados na segurança do paciente no processo da prescrição eletrônica.

Sumário do Tutorial:

  • Introdução
  • Referencial Internacional em Erros em Sistemas de PE: Eventos Sentinela
  • Em quais situações ocorrem os erros nos sistemas de PE? Exemplos
  • OBM – Ontologia Brasileira de Medicamentos
    • Objetivos
    • Modelo Conceitual
    • Aplicações
    • Status do Projeto
  • Tendências na área de PE

 

Instrutores:

  • Louise Lira Pavini (Hospital Sírio-Libanês, SP) - Farmacêutica generalista graduada pela Universidade Estadual de Londrina em 2012, especialista no Cuidado ao Paciente Crítico pelo Programa de Residência Multiprofissional do Hospital Sírio-Libanês, concluído em 2015. Atualmente atua na área de Informática Clínica como consultora no Projeto Terminologia de Medicamentos e Boas Práticas para Uso em Prescrição Eletrônica.

 

  • Paula Gonçalves (Hospital Sírio-Libanês, SP)
    Enfermeira graduada pela Universidade Nove de Julho (2008), especialista em Oncologia pelo Hospital Israelita Albert Einstein (2009), especialista em Gerenciamento de Projetos Praticas do PMI pelo Centro Universitário SENAC (2013) e especialista em Informática em Saúde pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês (2015). Tem experiência com implantação de Prontuário Eletrônico para áreas assistenciais, atualmente atua na área de Tecnologia da Informação no Hospital Sírio Libanês sendo responsável pelo módulo de Prescrição Eletrônica e projetos relacionados à implementação de Sistemas de Apoio à Decisão Clínica.

 


 

Tutorial 05: Estratégias para Saúde Digital

 

Este tutorial irá explorar como as organizações de saúde devem se preparar para a onda de transformação digital que já está em movimento. As expectativas e as práticas de cidadãos, pacientes, profissionais de saúde, gestores e fontes pagadoras públicas e privadas passam por um processo de mudanças significativas que tendem a se aprofundar nos próximos anos. Os processos de atendimento ao cliente e de atenção à saúde vêm sendo afetados em um ritmo sem precedentes pelo uso de tecnologias inovadoras, que viabilizam modelos criativos de atenção, avaliação, monitoração e remuneração dos serviços de saúde. A transformação digital das organizações de saúde deixou de ser um desejo de crescimento e passou a ser uma necessidade de sobrevivência.

Os conhecidos desafios de interoperabilidade semântica e de acesso à informação clínica ganham novas dimensões. Ao mesmo tempo, para viabilizar a transformação digital, é fundamental dar respostas à necessidades imediatas de automação de processos, personalização da atenção e mobilidade do paciente, além, é claro da segurança e flexibilidade dos sistemas de informação.

Neste tutorial iremos apresentar e discutir formas de combinar as melhores abordagens estratégicas com ações imediatas que, juntas, acelerem a incorporação da cultura de Saúde Digital e pavimentem o caminho para a Transformação Digital da organização.

 

Instrutor:

  • Lincoln de Assis Moura Jr, EE, MSc, DIC, PhD, IAHSI (Accenture, SP)
    Lincoln de Assis Moura Jr juntou-se à Accenture do Brasil em 2013, onde é Diretor Associado na prática de Saúde. Na Accenture, ele tem participado de projetos relevantes de saúde pública e privada, principalmente relacionados a estratégias de Saúde Digital em ambientes complexos. Lincoln tem um PhD pelo BioMedical Systems Group do Imperial College, de Londres. Ele tem uma longa e ampla experiência em aplicações de tecnologia em medicina e saúde, tendo trabalhado em uma variedade de importantes organizações de saúde pública e privada, como pesquisador, professor e gestor. Lincoln sempre foi líder em ciência e tecnologia aplicada à saúde. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica (SBEB) e da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS). Ele foi, também, Coordenador da Comissão de Informática em Saúde da ABNT, que funciona como comitê espelho do Comitê ISO TC 215. Lincoln atuou na IMIA como VP para a América Latina, Tesoureiro e Presidente (2013-2015). A IMIA - a International Medical Informatics Association (www.imia.org), é uma organização sem fins lucrativos com sede em Genebra, Suíça, que conta com a representação de mais de cem países. Recentemente, Lincoln foi eleito um dos membros fundadores da IAHSI – the International Academy of Health Sciences Informatics (www.imia.org).